Páginas

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

A revolução dos Bichos(1945) George Orwell (156 páginas) - (Editora - Companhia das letras)






A Revolução dos Bichos é um romance do escritor inglês George Orwell (1945), e apontado pela revista americana Time entre os cem melhores da língua inglesa.
O livro narra uma história de corrupção e traição e recorre a figuras de animais para retratar as fraquezas humanas e demolir o "paraíso comunista" proposto pela Rússia na época de Stalin.
Para o autor, um socialista democrático e membro do Partido Trabalhista Independente por muitos anos, a obra é uma sátira à política stalinista que, segundo sua ótica, teria traído os princípios da Revolução Russa de 1917.

Uma estória instigante que mostra como o socialismo funciona na prática. O estilo do livro é simples, porém rico de conteúdo político e retrata como funcionam os seres humanos quando detém o poder. Mesmo usando animais o que torna o livro mais interessante ainda.
Ele mostra como luta dos animais para obterem liberdade pode se transformar tão rapidamente em um jogo pelo poder.
Mostra com maestria como o discurso enquanto oposição é um e depois que vira situação as atitudes são bem diferentes.
Orwell é genial em mostrar as, analfabetismo e cobiça ao longo do romance para explicar a opressão, propaganda e desculpas elaboradas que levou ao surgimento da ditadura soviética.
No entanto, este romance vai além de abordar a Revolução Russa, ele fala de todas as revoltas, porque independente da escolha política direita ou de esquerda, o resultado sempre é o mesmo.
 Ele demonstra como uma revolta é inútil, de que as coisas continuarão como sempre foram. Apenas mudando o nome do regime em vigor.
A leitura é rápida e prazerosa.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

APENAS UMA GAROTINHA - A HISTORIA DE CASSIA ELLER (2005), 296 páginas (editora planeta do Brasil).





APENAS UMA GAROTINHA - A HISTORIA DE CASSIA ELLER (2005), 296 páginas (editora planeta do Brasil).
Este livro conta a vida do cometa Cássia Eller.
“Apenas uma garotinha” relata a infância, o começo na música e no amor, o seu talento e sua ousadia, seus problemas com drogas e sua alma frágil.
Um talento que foi reconhecido tardiamente e que partiu no auge da fama.
Eu a vi ao vivo em 1998 na abertura do show dos The Rolling Stones. Confesso que na época não conhecia direito e para ser sincero não gostava. Naquele show ela cantava basicamente músicas do Cazuza, numa postura parecida e tentando “encarnar” o poeta. Nesse livro descobri que era isso mesmo. Quando deixou parte de seus medos de lado, sua estrela brilhou. Infelizmente era insegura demais para mostrar suas músicas próprias, então só fiquei conhecendo a cantora maravilhosa alguns anos depois.
A biografia é muito bem escrita, li em um único dia.
Leia e descubra fatos curiosos de uma interprete que era uma antítese das cantoras famosas.

domingo, 1 de novembro de 2015

A bússola de ouro(1995) Philip Pullman(Editora objetiva, 368 páginas)






A Bússola de Ouro é um livro  de fantasia escrito por Philip Pullman, originalmente publicado em Julho de 1995, e o primeiro volume da série Fronteiras do universo. Lançado no Brasil pela editora objetiva com 368 páginas.

Minha opinião:
A heroína do livro é uma menina de 12 anos chamada Lyra. Esta jovem órfã vive sob os cuidados de estudiosos na Jordan College, em Oxford.
Ela está sempre acompanhada por seu daemon (demônio pronunciado) Pantalaimon, um animal do espírito de mudança de forma que encarna a alma dela.
Todos os seres humanos no mundo de Lyra, nós aprendemos, têm daemons que eventualmente assumir uma forma animal único, quando as crianças atingem a adolescência.
O livro envolve elementos de fantasia, como feiticeiras e ursos-polares falantes.
A linguagem em A Bússola de Ouro é destinada a um público mais jovem, mas muitos de seus temas e alusões são o suficiente para ser uma leitura para adultos.
A origem da alma e onde ela reside, a natureza corruptora do poder, a severidade sufocante de uma igreja poderosa. Uma citação “o paraíso perdido” precede o livro, e Milton é dificilmente considerada uma leitura infantil. Outro aspecto interessante da história é a sua resistência à categorização. Há almas corporais, ursos polares que falam bruxas que voam, mas também há cientistas que estudam, classificam e quantificam o seu universo. É uma mistura de fantasia e ficção científica muito suave.
Muitos acham a trilogia de Pullman uma antítese a trilogia as Crônicas de Nárnia com o seu teor a favor do cristianismo.
O livro é superior ao filme que por sua vez foi um fracasso de bilheteria. Isso acabou com qualquer possibilidade de um segundo filme.
Eu esperava que fosse mais uma estória boba, acabei me surpreendendo e adorei. Eu estou ansioso para ler a continuação “A faca sutil”.