Páginas

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Neuromancer(1984) edição comemorativa de 25 anos - William Gibson(Editora Aleph)







Neuromancer, de William Gibson, é uma das mais famosas novelas Cyberpunk e ganhou os três principais prêmios da ficção científica: Nebula, Hugo e Philip K. Dick, após sua publicação em 1984. Esse foi o primeiro livro de Gibson e o começo de uma triologia.
Neuromancer é um livro de ficção científica que introduzia novos conceitos para a época, como inteligências artificiais avançadas e um cyberespaço quase que “físico”, conceitos que mais tarde foram explorados por Masamune Shirow em seu mangá Ghost in the Shell e no filme Ghost in The Shell (no Brasil, "O Fantasma do Futuro"), dirigido por Mamoru Oshii, este serviu de inspiração aos irmãos Wachowski na criação da trilogia Matrix.

Sinopse
No futuro, existe a matrix. Uma espécie de alucinação coletiva digital na qual a humanidade se conecta para, virtualmente, saber de tudo sobre tudo. Mas há uma elite que navega por essa grande rede de informação - os cowboys. Case era um deles, até o dia em que tentou ser mais esperto do que os seus patrões. Que fritaram suas conexões com o ciberespaço, tornando-o um pária entre os seus iguais. Ele vaga pelos subúrbios de Tóquio, mais envolvido do que nunca em destruir a si próprio, até ser contatado por Molly, uma bela e perigosa mulher que, assim como ele, desconfia de tudo e de todos. Os dois acabam se envolvendo numa missão cheia de mistérios e perigos. Esta edição comemorativa de 25 anos de 'Neuromancer' conta com nova tradução de Fábio Fernandes e prefácio de William Gibson. O romance de estréia de Gibson é o primeiro volume da chamada 'Trilogia do Sprawl', que ainda inclui os livros 'Count Zero' e 'Mona Lisa Overdrive'.
Edição comemorativa de 30 anos - contém os extras: prefácio do autor escrito especialmente para o público brasileiro, três contos inéditos no Brasil e ambientados no universo Sprawl: Johnny Mnemônico, Hotel New Rose e Queimando Cromo (os contos trazem personagens e eventos presentes no livro) e uma entrevista de Gibson concedida ao escritor e crítico literário Larry McCaffery.

Minha opinião:
Eu acabei me decepcionando. Esperava muito do livro e acho que isso influenciou negativamente. Pensei, nossa o filme que influenciou matrix, diria mais que isso. O nome matrix vem desse livro, assim como o conceito do que é para como funciona. Os irmãos Wachowski comentaram quase um plágio. Voltando ao livro, eu gostei, acontece que comparado ao filme... a regra diz que “o livro é sempre melhor que o filme”, dessa vez a regra foi quebrada. Não tivesse assistido e soubesse o que é matrix, ficaria perdido no enredo confuso e com alegorias baratas e sem sentido. A trama não empolga, confesso que mais da metade do livro, li forçado e sem nenhum prazer.  Na maioria das vezes que isso acontece, acabo desistindo, não tenho tempo á perder. Continuei na esperança que iria melhorar, não foi assim. Talvez se não existisse o filme, teria gostado um pouco mais, nunca saberei.
Mesmo assim recomendo para todo fã de matrix ou de ficção científica. Quem não se encaixa nessas duas categorias,certamente não gostará do livro.
Quanto a edição de 25 anos, mais uma vez a editora Aleph acertou em cheio. O livro é lindo, com um acabamento único e inovador. Pena que a “capa e edição” são bem melhores que a estória em si. Vale cada centavo. Um dos livros mais bonitos da minha estante.







Nenhum comentário:

Postar um comentário