Páginas

terça-feira, 30 de setembro de 2014

A rainha do castelo de ar(2009) Stieg Larsson - Editora CIA das Letras


A Rainha do Castelo de Ar(668pgs) é um livro escrito pelo sueco Stieg Larsson. É o último volume da trilogia millenium. Foi publicado postumamente em sueco em 2007 e em outros países em 2009. Larsson escreveu os três romances antes de mostrar a uma editora. Então, em 2004 ele morreu de um ataque cardíaco aos 50 anos, antes que o primeiro fosse publicado, "Os homens que não amavam as mulheres", é essencialmente um mistério sobre o desaparecimento de uma jovem, o próximo livro, "A menina que brincava com fogo", traz a história do submundo do crime organizado e corrupção política. Larsson era editor-chefe de uma revista antirracista, e um especialista em organizações de extrema-direita e nazistas. Ele usou esse cenário na criação da revista fictícia, o Millennium. Ele também usou seu conhecimento da polícia secreta da Suécia, e os conflitos entre a Europa e a Rússia.

Larsson reuniu dois parceiros improváveis ​​para serem seus heróis. Lisbeth Salander uma heróina fascinante e moderna. Uma hacker brilhante, punk, rebelde, introvertida uma mulher que sabe ser violenta, não respeita as autoridades, alguém que foi vítima de uma injustiça do sistema. Aos 12 anos de idade foi internada em um hospital psiquiátrico e somente com dificuldade ganhou sua liberdade. Mikael Blomkvist é um jornalista de esquerda (como Stieg Larsson).

Nos livros anteriores cheios de emoção, com várias histórias paralelas umas às outras. Cada livro com um grande final, mas que deixaram perguntas no ar. Ambos terminam em suspense. Só agora, com a publicação de "A rainha do castelo de ar", o terceiro romance da trilogia Millennium sucesso mundial do falecido Stieg Larsson, podemos apreciar plenamente a realização do escritor sueco. A trilogia está entre aqueles romances que expandem os horizontes da ficção popular. É o livro que encerra a história, bem como as histórias dentro das histórias. Agora vem a rainha do castelo de ar, com Salander lutando por sua vida. O livro começa, Lisbeth tem uma bala em seu cérebro, sob custódia da polícia e é acusada de assassinato. Ao longo do romance, o funcionamento do serviço secreto sueco é revelado, como a realidade do mundo dos jornais e da imoralidade de algumas autoridades. Larsson escreveu um romance que é complexo, gratificante, inteligente, surpreendente. Você não vai querer se levantar de sua cadeira por um bom tempo. O volume final da trilogia Millennium é tão imprevisível e magnífico como os dois volumes anteriores! Lisbeth Salander planeja sua vingança final - contra aqueles que a prejudicaram, bem como contra as pessoas que, a fim de esconder seus próprios segredos obscuros quase a destruiram. Ela foi vítima, mas agora ela é uma caçadora.

O que diferencia a trilogia de Larsson de outras obras de suspense? O mais óbvio é o brilhantismo da narrativa de Larsson. É uma rica e emocionante história de suspense, que nos envolve no destino de Lisbeth, ao mesmo tempo em que nos transporta para todos os níveis da sociedade sueca. Outra razão para o sucesso da trilogia é a sua mensagem política. Há neonazistas, criminosos e vilões corporativos nesses livros, mas finalmente o inimigo está em funcionários corruptos do governo. Até certo ponto, Larsson baseou seu enredo sobre escândalos reais em seu próprio país, mas os perigos que ele expõe são mundiais. É que não há violência gratuita, nenhuma tecnologia sem sentido, apenas tudo entrelaçado com propósito e, apesar da alta contagem de corpos, em uma narrativa plausível. Este é um romance adulto para os leitores crescidos, que querem algo mais do que uma solução rápida e um romance bobo. E é por isso que a trilogia Millennium é justamente um fenômeno editorial em todo o mundo. É por isso que um jornalista sueco desconhecido passou a ser uma sensação editorial internacional. (Estima-se que mais de 60 milhões de livros foram vendidos no mundo todo). No início deste terceiro volume, Larsson nos diz que "desde a antiguidade até os tempos modernos, existem muitas histórias de mulheres guerreiras, de amazonas" e divaga sobre mulheres guerreiras da história e da mitologia. Lisbeth não é simplesmente uma mulher solitária, que foi perseguida, mas uma figura mítica, uma  vingadora que luta em nome de todas as mulheres contra a opressão. Tudo isso - a honestidade política, a raiva contra o sexismo, o suspense, a narrativa irresistível, o foco em costumes sexuais modernos, a tensão sexual entre Mikael e Lisbeth - fez a trilogia Millennium não somente um sucesso comercial, mas talvez o melhor, o exame mais amplamente focado da política moderna na ficção popular. Larsson conta a história de Lisbeth contra um panorama ambicioso que engloba os mundos do jornalismo, corporações, medicina, crime organizado, o governo, a polícia e os tribunais. O que sinto é um tipo de dor e tristeza, sabendo que Larsson, o fabricante destas maravilhas, não vai escrever mais nada. Ter escrito trilogia pode ter matado Larsson, mas ele deixou algo, uma obra-prima moderna.





2 comentários:

  1. Aí sim vc acertou meu gosto! hahaha amoooooooooo essa série!!!!
    Beijo King!
    Karina patricinha.

    www.livrofagia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir