Páginas

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

O homem do castelo alto(1962) - Philip K.Dick - (Editora Aleph)





O Homem do Castelo Alto (1962) tem 304 páginas é um romance de história alternativa do escritor americano Philip K. Dick. Ele ganhou um prêmio Hugo em 1963(o único livro dele que venceu a premiação) e desde então foi traduzido em muitas línguas. Escrito em 1961, quando o autor tinha 32 anos de idade. Em 1961, o autor havia escrito nada menos que 25 romances anteriores um número impressionante. Esta não é a obra de um aprendiz, e nem é o trabalho de usuário de anfetaminas, louco,gênio que escreveu doze romances em dois anos. Esta é uma obra de arte. Talvez eu posso dizer com alguma certeza que este é o melhor livro de seus mais de quarenta títulos.


A história ocorre em 1962, 15 anos após o fim de uma longa Segunda Guerra Mundial (1939-1947 nesta versão). Os vitoriosos do Eixo,Japão imperial, a Itália fascista e da Alemanha nazista, estão realizando intrigas uns contra os outros na América do Norte.
Muito rapidamente nos é dado a entender que os japoneses e os alemães não só venceram a guerra, mas venceram e dividiram os Estados Unidos entre si.
A estória  contém um conjunto diferente de personagens. Alguns deles conhecem uns aos outros, enquanto outros estão ligados de forma mais indireta, como todos eles lidam com a vida sob o totalitarismo. Três personagens guiam suas vidas com base no I Ching:

Mr. Tagomi, personagem principal do romance trabalha para uma empresa de comércio e enfrenta dilemas morais ao longo do livro que envolvem seu senso do que é certo e errado.

Frank Frink é um artesão que faz imitações baratas de antigos artefatos americanos, fornecendo-lhes a Robert Childan. Ele é um judeu na verdade que se esconde para evitar a morte em um campo de concentração nazista. Ele é um veterano da Guerra do Pacífico.Frank também enfrenta escolhas morais no livro que desafiam os seus valores artísticos.

Juliana Frink é uma professora de judo, ex-mulher de Frank. . Ela também é usada ao longo do livro por um assassino de aluguel. Juliana Frink mora em Colorado, a zona entre os alemães, na costa leste e os japoneses, a oeste. Ela torna-se cada vez mais fascinada com um livro intitulado The Grasshopper subterrâneo que conta um retrato de uma América que venceu a Segunda Guerra Mundial. É um livro dentro do livro.


Outros acreditam em coisas diferentes:

     Robert Childan compra antigos artefatos americanos. Ele acredita que os itens que são verdadeiros; Tagomi é um de seus melhores clientes, que compra "presentes" para si e para os empresários que o visitam.
     Mr. Baynes, um rico industrial sueco, é realmente Rudolf Wegener, um capitão nazista.

O I Ching é destaque no livro. Os japoneses, e alguns personagens-americanos o consultam e então agem por suas respostas às suas perguntas. Especificamente, "O Homem do Castelo Alto", Hawthorne Abendsen, usou-o para escrever The Grasshopper, e o próprio Dick usou o I Ching para decidir pontos da trama cruciais do livro.
É um grande romance de Dick, que emprega muitos temas clássicose técnicas de escrita, mas pode ser diferente do que você esperaria. Uso de Dick do I Ching é muito original e contribui para o clima cultural do romance. A forma como os personagens usam o I Ching para as principais decisões reflete uma moral muito diferente da americana. Ele permite muitas interpretações variadas que não são por demais evidentes. A idéia de imaginar uma América governada por uma forte filosofia oriental é bastante desafiadora.

   
O Homem do Castelo Alto lida com a justiça e a injustiça (Frink foge da perseguição racista nazista); gênero e poder (o relacionamento entre Juliana e Joe); a vergonha de inferioridade cultural e identidade (do Childan nova confiança na cultura americana através de sua nostalgia e a obsessão com antiguidades); e os efeitos do fascismo e do racismo na cultura.
É acima de tudo um trabalho maravilhoso de ficção, o uso de Dick do I Ching é fascinante. Está tudo aqui,ficção, suspense, ação, arte, filosofia, um ótimo enredo.
A técnica é ter um grande número de personagens que narram passagens curtas (muitas vezes há duas seções distintas por capítulo), dando ao leitor uma visão sobre os seus estados de espírito. Este não é o mesmo que ter um narrador onisciente, que tem acesso aos pensamentos de todos os personagens e se move dentro e fora dessas mentes à vontade. Narradores oniscientes tendem a impor uma certa narrativa monolítica que dá preferência à perspectiva de que o narrador é divino, e por sua vez o autor. Não Dick não faz isso. Em vez disso, ele estabelece uma série de mentes individuais em movimento, todos com opiniões e preocupações diferentes, e basicamente coloca os seus interesses uns contra os outros. Os personagens vão entrar em contacto uns com os outros de maneiras diferentes, e acabaram por influenciar diretamente a vida do outro. Dick, morreu em 1982, quando seus livros estavam começando a encontrar um público fora do gênero da ficção científica. Durante a maior parte de sua vida, ele lutou financeiramente, tentava construir uma reputação como um escritor sério.

Série:

Em 2010, foi anunciado que a BBC iria co-produzir uma de quatro partes adaptação para a TV de O Homem do Castelo Alto para BBC One. Ridley Scott, que dirigiu Blade Runner, uma adaptação livre de um outro romance de Dick, era para atuar como produtor executivo da adaptação de Howard Brenton.
Em 11 de fevereiro de 2013, a Variety informou que SyFy adaptou o livro como uma minissérie de quatro partes, com Ridley Scott e Frank Spotnitz como produtores executivos.
Em 1 de outubro de 2014 Amazon.com começou a filmar o episódio piloto em Roslyn, WA para um novo drama de tv.

Continuação:

Em uma entrevista de 1976, Dick disse que pretendia escrever uma sequência para o livro, O Homem do castelo alto. E por isso não há um verdadeiro desfeixo, ficou u final em aberto,Dick disse que ele tinha "começado várias vezes a escrever uma continuação", mas avançou pouco, porque ele estava muito perturbado por sua pesquisa original para o livro e não podia suportar mentalmente "para voltar e ler sobre nazistas novamente. "Ele sugeriu que a sequência seria uma colaboração com outro autor.
Dois capítulos da sequência proposta foram publicados em uma coletânea de ensaios sobre Dick intitulado As realidades Shifting de Philip K. Dick .Os capítulos descrevem oficiais da Gestapo reportando ao Partido Nazista sobre suas visitas de viagem no tempo para um mundo paralelo no qual a conquista nazista fracassou, mas que contém as armas nucleares, disponíveis para o roubo pelos nazistas de volta para o seu mundo. Ring of Fire, descrevendo a emergência de uma cultura nipo-americano híbrida, era o título do livro.
O romance de Dick, Radio Free Albemuth também começou como uma sequência desse livro.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Eric Clapton - A Autobiografia(2007) - Editora Planeta do Brasil




Eric Clapton – A Autobiografia(2007) com 400 páginas. O livro agradará até quem não é fã do guitarrista. Isso porque foge dos clichês das biografias de celebridades, que geralmente seguem dois caminhos ou procuram explicar o mito pela realidade, ora investem no sensacionalismo. Os méritos começam pelo fato de o livro ter sido realmente escrito por ele. A princípio, Clapton pensou em tomar o caminho comum; concedeu entrevistas sobre sua vida a um ghostwriter: Christopher Sykes, um amigo de longa data. Mas o Sr. Clapton estava descontente com esta versão. Quis alterar tanto o texto do coitado que decidiu recomeçar sozinho e escrevê-lo.
 Ele se colocou em uma programação disciplinada, trabalhando em "auto-exílio" em seu quarto de hotel, todas as manhãs e à tarde.
Mas a vida de Clapton tem sido definida por uma série de tragédias e esquisitices. Ele foi criado por seus avós, sob a ilusão de que eles eram seus pais; ele nunca conheceu seu pai e, até a idade de 9, acredita que sua mãe era, na verdade, sua irmã mais velha. Pat, sua mãe, de 15 anos, havia embarcado em um breve affair com um aviador canadense casado. Clapton nasceu secretamente no quarto dos fundos de seus avós em 30 de março de 1945. Ele sofreu uma longa batalha, épica com alcoolismo e toxicodependência. Em 1991, o filho de 4 anos de idade, do Sr. Clapton, Conor, morreu depois de cair de uma janela do quarto de hotel (inspirando uma de suas músicas mais populares, "Tears in Heaven").
"Eu queria esperar até que eu tivesse uma vida inteira para escrever sobre ela", disse ele. "E embora eu não ache que ficou perfeita, a minha memória estava começando a pregar peças em mim. Eu percebi que tinha que fazer isso agora.”
O resultado é uma narração sincera, divertida e de tom nostálgico, cujo foco é a vida, não a obra do artista. Não é o relato de uma divindade – na década de 60, havia numa estação de metrô londrina a pichação “Clapton é Deus” – mas a confissão de um homem que busca fazer as pazes com seu passado. Eric Clapton se descreve como um cara desajeitado e tímido, mas revela muito  de sua iniciação sexual à luta contra o alcoolismo, passando por uma generosa porção de anedotas envolvendo ícones da música. Clapton disse que acha a sua estabilidade no blues, a música que ele amou primeiro e que ele continua a considerar como uma espécie de farol. Não é de admirar, então, que ele tinha os blues. Forjar uma carreira na cena londrina, sair com os colegas entusiastas de blues, tais como os Rolling Stones ,Clapton foi reconhecido como um virtuoso. Mas ele não podia ser feliz: não com os Yardbirds, que, com efeito, o demitiram, nem com Bluesbreakers de John Mayall, nem com o Cream ou Blind Faith. Sempre inquieto, ele parece um personagem rabugento sempre em busca da próxima decepção. Eric Clapton se apaixonou por Pattie Boyd, esposa de seu amigo George Harrison. eles se casaram em 1979, a festa de casamento foi realizada em Ripley. Logo no início, Clapton ficou tão chapado com Lonnie Donegan e Georgie Fame, que resolveu se esconder dos outros convidados. à noite é que ele esgueirar-se para testemunhar uma jam session na marquise, com Jeff Beck, Bill Wyman, Mick Jagger, Jack Bruce e três dos Beatles, George, Paul e Ringo. (Lennon mais tarde disse Clapton que se ele soubesse sobre a festa, ele teria vindo.) Eles se divorciaram em 1988. Para ela escreveu a  obra-prima, "Layla” e “Wonderful Tonight”(para ela George Harrison escreveu “Something”). Com certeza Pattie era especial, foi a musa mais inspiradora e homenageada com três clássicos da música mundial. Com certeza uma das melhores estórias do livro, foi o duelo de guitarras entre Clapton e Harrison por Pattie.Cego tantas vezes com os sentimentos dos outros, ele também permaneceu incrivelmente alheio não simplesmente modas da música, mas a uma consciência de sua potência e suas próprias responsabilidades. Não participou do ativismo dos anos sessenta e da revolução do punk.
É claro que, em sua autobiografia, ele relatou momentos que não lhe causaram dor, como a época em que iniciou os estudos na guitarra. Mas, de certa forma, setenta por cento do livro trata-se de dor. Muita dor. E é nessa dor que Clapton tomou impulso para alçar vôos fantásticos em sua música. Clapton era, acima de tudo, um sarcástico. Comeu o pão que o diabo amassou, mas não sem antes matar toda sua fome com os pães do inferno e saciar toda sua sede com bebida alcoólica, fato que o levou a internação duas vezes. Em certa ocasião, tentou o suicídio. Mas nem tudo é tragédia. Clapton termina o livro contando como encontrou a paz nas suas três filhas e em como finalmente conseguiu estabilizar emocionalmente sua vida. É o meu guitarrista preferido de todos os tempos.




quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Pulp(1994) Charles Bukowski - Editora L&PM




Pulp(1994) tem 176 páginas. É o último romance completo do poeta e escritor Charles Bukowski. Foi publicado em 1994, pouco antes da morte de Bukowski. Ele começou a escrevê-lo em 1991 e encontrou vários problemas durante sua criação. Ele ficou doente durante a primavera de 1993.

Minha opinião:
Pulp que significa revistas feitas com papel de baixa qualidade (a “polpa”) a partir do início da década de 1920, que geralmente tratavam de ficção científica e fantasia
Ao contrário de outros romances de Bukowski, o narrador não é Henry Chinaski. Em vez disso, o romance segue o detetive particular Nicky Belane enquanto ele tenta rastrear o autor clássico francês. Belane é contratado por uma mulher fatal, talvez literalmente, chamada Dona Morte para rastrear um homem que poderia ser o romancista francês Celine e descobrir se, de fato, ele é quem parece ser. Dona Morte é uma mulher linda e misteriosa. Ela é uma metáfora mal disfarçada da morte. Ao longo do caminho, ele recebe mais casos, Belane é pobretão, como Bukowski, está desempregado mais frequentemente do que não. Além disso, como o autor, Belane tem uma atitude cínica em relação ao mundo que é agravado pelo seu consumo excessivo de álcool.
A Pardal Vermelho é uma paródia da Black Sparrow Press, de propriedade de John Martin. A Pardal Vermelho simboliza a chegada da morte do próprio Belane e de Bukowski. Esta é uma saga, na qual um homem faz o que precisa fazer e se prepara para morrer.
Bukowski morreu aos 73 anos, pouco depois de completar esta novela e seria negligente se não traçasse paralelos entre Belane e Bukowski, como ele começou a preparar-se para sua própria morte. (Sua lápide diz: não tente). Para alguém que nunca leu Bukowski antes, a experiência parece um filme de Tarantino; fora de seqüência.
Dois bandidos enviados para acabar com Belane são nomeados "Dante" e "Fante" - uma saudação ao maestro italiano Dante Alighieri e o escritor ítalo-americano John Fante. A novela tem seus altos e baixos. Não é o melhor livro do velho Bukowski,mesmo assim é um livro dele e só por isso já vale cada página.
É o epitáfio de um dos meus escritores favoritos.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Os Vagabundos Iluminados(1958) Jack Kerouac( Editora - L&PM)




Os Vagabundos Iluminados é um romance de 1958(256 páginas) escrito por Jack Kerouac.
A primeira vez que li esse livro,deveria ter uns 24 anos. E ele me marcou profundamente.
As estórias do romance são baseadas em eventos que ocorreram anos depois dos eventos de On the Road. Os personagens principais são o narrador Ray Smith, baseado em Kerouac, e Japhy Ryder, com base no poeta e ensaísta Gary Snyder, que foi quem introduziu Kerouac ao budismo em meados dos anos 50. O livro conta a dualidade na vida e os nos ideais de Kerouac, examinando a relação que o ar livre, ciclismo, montanhismo, caminhadas e pegando carona através do Ocidente teve com sua "vida urbana" de clubes de jazz, leituras de poesia, e bebedeiras. A busca do protagonista para um contexto "budista" para suas experiências (e as dos outros, ele encontra) é um tema recorrente ao longo da história.
Começou a trabalhar no que viria a ser a sua terceira obra publicada em 1957. Foi escrito rapidamente e publicado no ano seguinte.
Como em On the Road, esse livro é altamente autobiográfico. "Ray Smith" é um apelido para Kerouac;os amigos de Ray são caricaturas de seus conhecidos da vida real. Reflexões de problemas próprios de Kerouac, incluindo seu alcoolismo e idéias sexuais conflitantes, também ecoam dentro do romance.
Infelizmente, o romance de Kerouac teve uma recepção relativamente pobre no campo literário na época do seu lançamento. Sua biografia velada conseguiu ofender companheiros como Allan Ginsberg.
Apesar de todas as críticas, porém, o livro vendeu bem. Tornou-se um livro cult com o passar do tempo,e persiste como um dos retratos mais populares de Kerouac da Geração Beat; alguns, de fato, louvam a prosa de Kerouac neste romance como superior ao de On the Road. Um retrato sincero e sem retoques de temas humanos - da amizade, espírito de liberdade, e compaixão por todas as criaturas.



 

sábado, 25 de outubro de 2014

A tormenta de espadas - As crônicas de Gelo e Fogo Volume 3(2011) - George.R.R.Martin(Editora Leya)





A tormenta de espadas - As crônicas de Gelo e Fogo Volume 3(884 páginas) de George R.R. Martin. Foi publicado pela primeira vez em agosto de 2000. Sua publicação foi precedida de uma novela chamada Caminho do Dragão, que reúne alguns dos capítulos Daenerys Targaryen do romance em um único livro.
Na época de sua publicação, A Tormenta de Espadas foi o romance mais longo da série.

O prólogo define o tom para o resto do livro, que é cheio de morte, magia negra,tensão e tragédia
A Tormenta de Espadas retoma a história um pouco antes do final de seu antecessor, A Fúria dos Reis. Os Sete Reinos de Westeros ainda estão sob o domínio da Guerra dos Cinco Reis, onde Robb Stark, Balon Greyjoy, Joffrey Baratheon e Stannis Baratheon lutam para garantir a sua reivindicação ao Trono de Ferro. Enquanto isso, uma grande multidão de selvagens estão marchando em direção à parede, sob a liderança de Mance Rayder,com apenas a Patrulha da Noite no seu caminho. Por fim, Daenerys Targaryen está em seu caminho de volta para Pentos.

Personagens:

São dez personagens principais, além de um prólogo.
 
     Prólogo: Chett, um irmão e cão de guarda da Patrulha da Noite
    
 Jaime Lannister, o Regicida, um espadachim letal, pai secreto do Rei Joffrey Baratheon, que nasceu da união incestuosa entre Jaime e sua irmã gêmea Cersei. Até este ponto Jaime Lannister tem sido um dos piores inimigos da família Stark, que são os personagens principais dos romances.Jamie Lannister, o Regicida, está se dirigindo para o sul para Porto Real em busca de redenção e da família. Escoltado por 'Lady' Brienne, Jamie retoma sua consciência e honra.Algo que foi escondido nas partes mais escuras da sua alma desde o dia em que ele matou o Rei Aerys,
    
Jon Snow, filho bastardo de Eddard Stark, um irmão da Patrulha da Noite. Catelyn Stark, da Casa Tully, viúva de Lord Eddard Stark . Jon está  fingindo lealdade para o povo livre de selvagens, a fim de se infiltrar no exército que está pretendendo romper a divisão entre o Sete reinos. Jon encontra sua lealdade dividida entre a mulher que ama e o juramento que fez e Sam.
Na parede, Jon Snow e seus irmãos lutam contra "o rei além do muro 'Mance Rayder e seu exército de selvagens.
    
Tyrion Lannister, filho mais novo de Tywin Lannister, um anão, irmão de Jaime e Cersei Lannister. Tyrion Lannister está em uma batalha constante pelo poder contra sua irmã.
Seu pai, Lorde Tywin Lannister, assume o papel de Mão do Rei.O ódio entre ele e o pai aumenta,quem vencerá ao final?

Sansa Stark, filha mais velha de Eddard e Catelyn Stark. Sansa ainda está presa em Porto Real, onde ela é forçada a fingir que é leal ao Rei Joffrey e sua mãe, a rainha regente Cersei. Sansa permanece em Porto Real, onde Cersei e Rei Joffrey a mantem cativa.
    
Arya Stark, filha mais nova de Eddard e Catelyn Stark. Arya está cruzando a guerra rasgando Westeros, rumo a Correrrio, onde sua mãe e seu irmão estão buscando refúgio no castelo em que Catelyn Stark passou a infância. Arya está na estrada para Correrrio quando ela é capturada por um grupo de bandidos liderados por cavaleiros, uma vez leais a seu pai e ao velho rei. Esses bandidos adorar um deus desconhecido para Arya, que tem o poder de trazer os mortos de volta à vida.

 Bran Stark, filho de Eddard e Catelyn Stark, herdeiro de Winterfell e do Norte  No Norte, o inverno chegou. Bran Stark e seus companheiros (Meera e Jojen Reed) vão ao norte da parede em busca do corvo de três olhos que irá ajudá-los. Bran é um troca-peles. Todos pensam que ele está morto, eles viajam em absolutamente sigilo, evitando todas as principais estradas e cidades.


Samwell Tarly, filho covarde de Lord Randyll Tarly, um irmão jurado da Patrulha da Noite. Encontra-se perdido no deserto da floresta assombrada e cara a cara com os espíritos mortais e outras criaturas.Um covarde com coração de ouro.
    

Davos Seaworth, um contrabandista que virou cavaleiro a serviço do Rei Stannis Baratheon
Rei Stannis está lambendo suas feridas quando Davos Seaworth aparece em sua porta. Stannis Davos começa a traçar sua gloriosa volta, mas eles ainda são governados pela feiticeira ruiva de Stannis, Melisandre. Davos não confia nela.
    
Daenerys Targaryen, verdadeira rainha de Westeros, da dinastia Targaryen
E do outro lado do Mar Estreito os dragões crescem ... .Daenerys Targaryen, a Mãe dos Dragões, constrói o seu exército e marcha para Westeros para recuperar o Trono de Ferro para si e para a Casa Targaryen. Ela tem os dragões e um exército.
    
 Epílogo: Merrett Frey, um membro da família Frey.

 Aqui Martin exibe seu talento para a tensão e suspense, muitos capítulos terminam em um suspense mortal. Deixando o leitor desesperado para ler a próxima página, mas essa parte do livro deixa você tão chocado que você encontrar-se quase incapaz de se concentrar em qualquer coisa outra coisa. Martin parece apreciar nomear todos os convidados em cada festa, descrevendo os segredos de sua casa senhorial ou o glamour de suas roupas. Isso rapidamente se torna muito para o ritmo da leitura. Uma vez que você se acostuma com a escrita de Martin você encontrar-se capaz de saltar grandes partes do texto por instinto, sem perder nada de importante.
No terceiro livro, A Tormenta de Espadas,tem  muitos enredos diferentes e mas quando você acha que a série,tem um enredo, ou personagens todos planejados, Martin leva tudo a  uma direção inesperada.
Para mim, este foi o melhor livro da série até agora. O primeiro livro foi para conhecer a história e o passado de Westeros e os Sete Reinos, enquanto o segundo livro era mais sobre a guerra e fortalecendo os conceitos do primeiro livro, mas este terceiro livro era mais sobre a caracterização para mim. Martin tem desafiado o que o leitor espera de um livro tradicional de fantasia. A maioria dos leitores estão acostumados a ler a busca de um herói, a batalha entre o bem e o mal, e salvar a donzela em perigo ... há sempre um herói claro acima de qualquer suspeita e um vilão de verdade. O que eu amo sobre essa série é que todos os personagens tem dois lados,não são nem completamente bons ou maus. Assim como todos os seres humanos na vida real,metade é luz a outra parte é escuridão.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Hollywood(1989)Charles Bukowski - Editora(L&PM)


Hollywood é um romance de 1989(358 páginas) escrito por Charles Bukowski.O livro ganhou uma adaptação para o cinema”Barfly”.
Adotando o seu alter-ego, Henry 'Hank' Chinaski, um personagem utilizado em romances anteriores, este livro relata suas experiências como diretor e as dificuldades enfrentadas para conseguir dinheiro e fazer um filme.Como em outras obras,ali está o estilo do velho safado.Brigas,transas,porres e humor.Em um entrevista ele disse:”A minha primeira estória foi publicada quando tinha 24 anos, mas a maioria de meus livros de poesia e prosa foram escritos depois que eu tinha 40 ano. E sou grato por isso.”
         “Escritores que alcançam sucesso no início de suas vidas, eles não vivem como homens da rua, e logo perdem a ponto de o que está acontecendo nas fábricas e com as pessoas que trabalham 16 horas por dia.
         Eu tive um início tardio. Eu tive sorte. Permitiu-me viver com todos essas putas, tive todos esses empregos horríveis e todas essas aventuras difíceis.”'


Bukowski usa os seguintes nomes como pseudônimos para as versões ficcionais de pessoas com quem trabalhou no filme Barfly:

     Mickey Rourke é Jack Bledsoe.
    
Faye Dunaway é Francine Bowers.
     Barbet Schroeder é Jon Pinchot.

Ele também cita outros famosos que ele conheceu em Hollywood durante as filmagens do longa metragem.

     Jean-Luc Godard é Jon-Luc Modard.
    
Steve Baes é Francois Racine
     Dennis Hopper é Mack Austin
     Sean Penn é Tom Pell
     Norman Mailer é Victor Norman
     David Lynch é Manz Loeb
     Isabella Rossellini é Rosalind Bonelli
     Werner Herzog é Wenner Zergog
     Taylor Hackford é Hector Blackford

As filmagens

Bukowski apareceu no fundo de uma cena, sentado no bar com os outros "barflies." Schroeder já havia filmado uma série de cinquenta e duas entrevistas curtas com Bukowski, reunidos sob o título, as fitas de Charles Bukowski. Entrevistas usadas no documentário de 2003 sobre o autor chamou Bukowski: Born Into This.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

A fúria dos reis - As crônicas de gelo e fogo volume 2(1998) George R.R.Martin(Editora Leya)




A Fúria dos reis é o segundo romance de As Crônicas de Gelo e Fogo lançado em 1998.Ele tem 656 páginas e foi lançado em 2011 no Brasil.É uma série de fantasia épica escrita pelo autor americano George RR Martin. O romance foi adaptado para a televisão pela HBO como a segunda temporada da série de TV Gerra dos tronos.

A Fúria dos Reis retrata os Sete Reinos de Westeros em guerra civil, enquanto a Patrulha da Noite monta um reconhecimento para investigar os povos misteriosos conhecidos como selvagens. Enquanto isso, Daenerys Targaryen continua seu plano para reconquistar os Sete Reinos.
 
A estória é contada por 9 personagens mais um prólogo:

     Prólogo: Maester Cressen, meistre em Pedra do Dragão.
     Tyrion Lannister, filho mais novo de Lorde Tywin Lannister, um anão e um irmão da rainha Cersei, ea Mão de atuação do Rei
     Lady Catelyn Stark, da Casa Tully, viúva de Eddard Stark, Lorde de Winterfell
     Ser Davos Seaworth, um contrabandista virou cavaleiro a serviço do Rei Stannis Baratheon, muitas vezes chamado de Cavaleiro das Cebolas
     Sansa Stark, filha mais velha de Eddard Stark e Catelyn Stark, cativo realizada pela Rainha Cersei em Porto Real
     Arya Stark, filha mais nova de Eddard Stark e Catelyn Stark, desaparecidos e dados como mortos
     Bran Stark, o segundo filho de Eddard Stark e Catelyn Stark e herdeiro de Winterfell eo Rei do Norte
     Jon Snow, filho bastardo de Eddard Stark, e um homem da Patrulha da Noite
     Theon Greyjoy, herdeiro da Cadeira de Pedra do Mar e ex-ala de Lord Eddard Stark
     Rainha Daenerys Targaryen, a não queimados e Mãe de Dragões, da dinastia Targaryen

Tyrion Lannister é o carismático anão. Ele encontra-se em Porto Real com sua amante prostituta Shae, ele sabe da natureza perigosa de sua irmã - a mãe do rei Joffrey - Cersei. Tyrion prepara a cidade para a guerra, sempre evitando os espiões de sua irmã e assassinos contratados. Apesar de estar do lado inimigo, Tyrion é um personagem simpático, sarcástico e cínico, ele fornece uma sagacidade cômica na estória.

Lady Catelyn Stark, mãe e viúva, cujas tentativas de trazer a paz ao reino são constantemente frustradas pela sede de sangue dos homens.

Ser Davos Seaworth, um cavaleiro contrabandista vê o mundo do rei que amava, Stannis Baratheon, virar cinzas nas mãos de uma sacerdotisa maléfica.

Sansa, irmã mais velha de Arya está sendo julgada no tribunal, prometida em casamento ao rei menino, Joffrey. Sansa é abusada e maltratada.

Arya a mais jovem das mulheres Stark, enquanto esconde a sua identidade dos inimigos de seu irmão, está tentando voltar para casa para o grande castelo de Winterfell. Ao longo do caminho ela passa por muitas aventuras, vivendo o horror e a dor experimentada durante uma guerra. O grupo de amigos de Arya enfrentam suas próprias batalhas e são capturados e colocados para trabalhar em um castelo.
Bran Stark, o indefeso, mas corajoso Senhor de Winterfell, lutando batalhas em seu próprio caminho.E uma conexão profunda e intrigante entre o corpo deficiente de Bran e o selvagen lobo gigante.

Jon Snow o Stark bastardo, juntou-se à Patrulha da Noite.Uma ordem de homens, conhecidoa por sua bravura na defesa do reino, encarregados da manutenção de uma parede de gelo,com milhares de quilômetros de comprimento e 700m de altura. Jon e seus companheiros se aventuraram além da parede de gelo, para as florestas e mais além, em busca de respostas. Jon é testado de várias maneiras.

Theon Greyjoy. Sua verdadeira intenção é sangrenta e sinistra, ele volta para Winterfell para saquear o castelo, na calada da noite e reivindicá-lo como seu. Feliz por matar aqueles que eram sua família adotiva, para obter a aprovação de seu pai, Theon comete atos de horror e é atormentado pela culpa de suas ações nefastas.
 
A rainha Daenerys, a última filha de Casa Targaryen os reis usurpados dos Sete Reinos. Ela surgiu a partir da pira funerária de seu marido com três dragões. Ela e seus dragões e os restantes homens de sua tribo,viajam pelos desertos estéreis e em cidades estrangeiras em busca de um exército e navios para levá-los de volta para Westeros, então Daenerys poderá recuperar seu trono.Ela viajará para a escuridão da Casa dos Imortais, um templo encantado, para descobrir as verdades de ambos, o seu futuro e o passado de seus familiares.

Como acontece no final do primeiro livro, muitos desses capítulos me deixou curioso. Ao passar de um personagem para outro,sentia a necessidade de ler mais para descobrir o destino dos personagens. Isso é ótimo. Muitas vezes as histórias emocionantes e intrigantes de Bran e Jon são parados por vários capítulos e depois voltam para vários dias ou semanas após o encerramento da última aventura. Outra das falhas dos livros é que alguns dos personagens simplesmente ficam mais fortes do que os outros
O drama e a emoção do livro compensam as falhas. Martin criou um mundo detalhado e multi-facetado com personagens simpáticos e críveis; a maioria dos quais estão envolvidos em histórias interessantes. As histórias estão intrinsecamente relacionadas, embora raramente se conectam diretamente. O segundo livro mantém o nível do seu antecessor e apesar do grande número de páginas,a vontade de ler é enorme.


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

A guerra dos tronos(1996) George R.R.Martin (Editora Leya Brasil)




O inverno está chegando…

A Guerra dos tronos de 1996 com 592 páginas é o primeiro romance de As Crônicas de Gelo e Fogo, uma série de romances de fantasia do autor americano George RR Martin.
No romance, contando os eventos a partir de vários pontos de vista.O romance tem inspirado diversas obras e vários jogos. É também a base para a primeira temporada de Game of Thrones, uma série de televisão da HBO, que estreou em abril de 2011



O livro apresenta a perspectiva de oito personagens principais. Os títulos dos capítulos do livro:

     Prólogo: Will, um homem da Patrulha da Noite.
     Lorde Edward "Ned" Stark, Protetor do Norte e Senhor de Winterfell, Mão do Rei.
     Lady Catelyn Stark, da Casa Tully, esposa de Eddard Stark.
     Sansa Stark, filha mais velha de Eddard e Catelyn Stark.
     Arya Stark, filha mais nova de Eddard e Catelyn Stark.
     Bran Stark, filho de sete anos de Eddard e Catelyn Stark.
     Jon Snow, filho bastardo de Eddard Stark.
     Tyrion Lannister, um anão, irmão dos gêmeos Rainha Cersei e Jaime, filho de Lorde Tywin Lannister.
     Princesa Daenerys Targaryen, Stormborn, a Princesa de Pedra do Dragão e herdeira do trono Targaryen depois de seu irmão mais velho Viserys Targaryen.

Minha opinião:

Duas famílias no centro das atenções em uma batalha pelo trono; os Stark e os Lannister.
A história em si é meio complicada e tediosa. Eu precisei prestar atenção ao que estava acontecendo e fui recompensado com uma estória bem escrita.
Tem diferentes casas e genealogia, nomes estranhos difíceis de lembrar,no final do livro tem algumas páginas dedicadas à cada casa e respectiva genealogias,brasões,lemas e um mapa de Westeros e os Sete Reinos.Muitas vezes consultei essas páginas para não me perder. O livro realmente se move a um ritmo bastante lento. Uma história muito complexa,e você praticamente precisa de um mapa e uma referência geneological para manter o controle de onde você está e com quem você está.
O que eu mais gostei neste livro, foi que você realmente tem a sensação de que você estava lendo algo diferente e especial. Martin não se concentrar na batalha épica tradicional entre o bem e o mal, como muitos livros fazem. Eu encontrei-me lendo compulsivamente, incapaz de parar. Embora a trma toda seja longa e complicada. Eu particularmente adorei a estória,apesar de ter sido complexa, era empolgante e envolvente.
Não tem como não comparar com a saga dos anéis do genial e inimitável Tolkien. Se você gosta de Tolkien, ou se você gosta da idéia de uma série de fantasia épica, então você deve pegar "A Game of Thrones 'o mais rápido possível.Situado em um mundo muito parecido com a nossa própria história medieval, especificamente a Guerra das Rosas na Inglaterra. O livro é classificado como fantasia, mas tem muito poucos elementos fantásticos. Este é um mundo onde a magia desapareceu, e apesar de existirem dragões,bruxas e caminhantes brancos e os filhos da floresta, ninguém acredita mais neles. Pelo menos no primeiro livro, nosso foco principal é a intriga na corte.
À medida que a história começa a se desenrolar, o tema se move fortemente na área de intrigas políticas.O elemento de fantasia, sempre desempenha apenas um papel menor no resto do livro. Enquanto todo o livro é escrito em terceira pessoa, cada capítulo se concentra em personagens que estão espalhados pela totalidade do seu mundo.Devido a isso, existem vários pontos da trama e pontos de vista opostos de vários personagens. Os personagens não são necessariamente bons ou maus. Assim, muitos personagens são motivados pela ganância, orgulho e auto-interesse. O que isso diz sobre a diferença entre o bem eo mal no livro foi realmente fascinante para discutir.Normalmente somos atraídos por personagens que são bons e honestos e puros, mas neste livro, não é simples assim.


    

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Entrevista com o vampiro(1976) - Anne Rice(Editora Rocco)




Entrevista com o Vampiro é o romance de estréia da escritora americana Anne Rice, publicado em 1976, baseado em um conto que ela escreveu por volta de 1968. Anne Rice escreveu o romance logo após a morte de sua filha Michelle, que serviu de inspiração para a personagem-vampira criança Claudia. Na época a recepção da crítica foi regular. O livro foi seguido por um grande número de sequências, conhecidas coletivamente como As Crônicas Vampirescas. A adaptação para o cinema foi em 1994, estrelado por Brad Pitt e Tom Cruise, e o romance foi adaptado como uma história em quadrinhos por três vezes.



Minha opinião:
Eu li esse livro a primeira vez na minha adolescência. Não foi o primeiro que li dessa escritora genial.Só que tudo começou nesse livro.A minha paixão pelo seu estilo e talento continua até os dias de hoje. Quando ele foi lançado em 1976 eu nem tinha nascido.
Tudo começa com um vampiro chamado Louis que conta sua história de vida de 200 anos a um repórter designado simplesmente como "o menino". Em 1791, Louis vive ao sul de Nova Orleans. Atormentado pela morte de seu irmão, ele busca a morte de qualquer maneira possível. Louis é abordado por um vampiro chamado Lestat que transforma Louis em vampiro e os dois se tornam companheiros imortais. E então a história começa...

Nunca outro personagem como Lestat personificará tão perfeitamente um vampiro. Anne Rice com esse romance inicia a saga das crônicas vampirescas.Comparar as outras versões do mesmo tema “vampíros” com a obra de Anne rice é o mesmo que comparar um Vinho francês da melhor safra com uma garrafa de pinga. Os seus vampiros tem alma,delicadesa e profundidade. A escrita de Anne é agradável e forte, seus imortais tem dúvidas profundas e existênciais.
Entrevista com o Vampiro rapidamente se tornou um clássico da literatura de vampiros. Não é difícil perceber porquê. Ao contrário vampiros que lemos nos romances de hoje, os vampiros neste livro são como deveriam ser: assutadores, monstruosos e perigosos.
Louis, o personagem-título, é um personagem maravilhoso e complexo. Sua luta com a culpa que ele sente em relação a seu desejo de matar, é fascinante. É uma viagem de Louis para encontrar um pouco de paz de espírito.
O problema é que Louis nunca pode fazer a escolha. Como um ser humano que ele sofria de terrível dor pela morte de seu irmão, e desejou a morte chegar para ele também. Um vampiro ouviu seus apelos e veio em seu auxílio. Como resultado Louis agora tem perguntas e uma angústia que não termina.
Seu criador vampiro, Lestat, é um dos meus personagens favoritos na literatura. Lestat é perfeito. Ele próprio é um andarilho confuso, lutando para encontrar companheiros para diminuir a sua dor e solidão. O fato de que o livro e sua história começa no século XVIII, e as formas de viajar o mundo em caixões em carruagens dos vampiros, é uma reminiscência dos antigos e originais contos de vampiros clássicos como Carmilla de Joseph Le Fanu ou Drácula de Bram Stoker. A história real é construída lá e a velha imagem de vampiros sendo criaturas aterrorizantes e da noite.
Em um mundo onde vampiros voltam para a escola para se novamente, é refrescante para revisitar uma história como Entrevista com o Vampiro, onde se aplicam regras vampirescas tradicionais. A luz solar pode matá-los. Eles matam pessoas. Uma excelente leitura. Tanta profundidade e personagens brilhantes. Um verdadeiro clássico.
Anne Rice já vendeu cerca de 100 milhões de cópias com todos os seus livros, tornando-a uma das ecritoras mais lidas na história moderna.

O Filme
 
Os direitos de filmagem de Entrevista foram adquiridos pela Paramount Pictures, Lorimar e Warner Bros antes The Geffen Film Company. Diretor Neil Jordan reescreveu primeiro rascunho do roteiro de Rice, embora ela recebeu crédito único. Brad Pitt estrelou como Louis, Tom Cruise estrelou como Lestat, Antonio Banderas co-estrelou como Armand, assim como uma jovem Kirsten Dunst como o vampiro criança Claudia. A produção dessas cenas foi colocado em espera por algumas semanas, enquanto River Phoenix, que havia sido escalado como o entrevistador, terminou de trabalhar no filme Dark Blood. Phoenix morreu de uma overdose no final desse mês, e Christian Slater foi então escalado como o entrevistador Molloy. Slater doou todo o seu salário para salvar a Terra e a Terra Trust, duas das instituições de caridade favoritas de Phoenix.
O filme foi lançado em novembro de 1994 a reação da crítica em geral foi positiva, e recebeu indicações ao Oscar de Melhor Direção de Arte e Melhor Trilha Sonora Original. Dunst foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante por seu papel no filme. Arroz tinha inicialmente expressou suas objeções para a escalação de Cruise como Lestat, preferindo Rutger Hauer para o papel. Depois de ver o filme, no entanto, ela expressou o seu apoio para o filme, dizendo: "Isso, Tom fez um bom trabalho, Lestat era algo que eu não podia ver em uma bola de cristal. Ele  provou que estava errada."
Em agosto de 2014, a Universal Pictures e Imagine Entertainment adquiriu os direitos cinematográficos para toda série Crônicas Vampirescas de Rice.
Em beve teremos uma nova versão cinematográfica.

Quadrinhos

Inovação Comics publicou um doze emitir adaptação em quadrinhos de Entrevista com o Vampiro, em 1992, seguindo-se em adaptações de O Vampiro Lestat e A Rainha dos Condenados. A adaptação do mangá japonês por Udou Shinohara foi publicado em 1994 por Tokuma Shoten. Também foi serializado em ambas Animage e Chara Comics revistas  Em 2012, a graphic novel Entrevista com o Vampiro.: A História de Claudia foi publicado pela Yen Press, recontando a maior parte do romance original, do ponto de vista do vampiro criança Claudia.