Páginas

sábado, 18 de setembro de 2010

A menina que brincava com fogo(2009) - Stieg Larsson(Editora Companhia das letras)


Lisbeth parece uma garota frágil, mas é uma mulher determinada, ardilosa, perita tanto nas artimanhas da ciberpirataria quanto nas táticas do pugilismo. Mikael Blomkvist pode parecer apenas um jornalista em busca de um furo, mas no fundo é um investigador obstinado em desenterrar os crimes obscuros da sociedade sueca, sejam os cometidos por repórteres sensacionalistas, sejam os praticados por magistrados corruptos ou ainda aqueles perpetrados por lobos em pele de cordeiro.
"Não há inocentes. Apenas diferentes graus de responsabilidade", raciocina Lisbeth Salander, protagonista de "A Menina que Brincava com Fogo", de Stieg Larsson. O autor - um jornalista sueco especializado em desmascarar organizações de extrema direita em seu país - morreu sem presenciar o sucesso de sua premiada saga policial, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo.

Minha opinião

Um livro de suspense que prende a atenção do leitor da primeira a última página.
Mikael Blomkvist com certeza é o alter ego do escritor Stieg Larsson, como ele o seu personagem é um jornalista investigativo. A pergunta que fica é quem seria Lisbeth?
Uma garota com 1,50 de altura, uma hacker brilhante, com memória fotográfica e uma inteligência que beira a genialidade. Neste segundo volume é revelado o passado de Lisbeth e as explicações para os seus problemas psicológicos. Stieg consegue unir dois personagens distintos Mikael que representa o idealista, o sonhador, o herói. Do outro lado temos Lisbeth a juventude, o tema moderno que é a informática, a cínica e bad girl.
Uma curiosidade é a vida do escritor Stieg Larsson que morreu antes da publicação dos seus livros em 2004 vítima de um ataque cardíaco fulminante.
Stieg tinha 50 anos e tinha acabado de entregar os manuscritos da trilogia Millennium para os seus editores. Depois de sua morte em 2004, em 2008 tornou-se o segundo escritor que mais vendeu livros no mundo todo.
A morte de Stieg ceifou um grande talento e uma carreira que seria gloriosa. Eu li que na verdade não seria uma trilogia e sim seis livros ao todo, uma pena.

Translation

Lisbeth seems a frail girl, but a determined woman, cunning, expert in both the antics of cybersquatting on the tactics of boxing. Mikael Blomkvist may seem just a journalist in search of a hole, but the bottom is a dogged investigator to dig up obscure the crimes of Swedish society, are committed by the sensationalistic reporters, are those perpetrated by corrupt judges or even those perpetrated by wolves in lamb.
"There are no innocents. Only different degrees of responsibility," he reasons Lisbeth Salander, star of "The Girl who played with fire" by Stieg Larsson. The author - a Swedish journalist who specializes in debunking right-wing organizations in their country - died without witnessing the success of its award-winning crime saga, which has sold over 10 million copies worldwide.

My opinion

A book of suspense that holds the reader's attention from first page to last.
Mikael Blomkvist with certainty is the alter ego of writer Stieg Larsson, your character as he is an investigative journalist. The question that remains is who would Lisbeth?
A girl with 1.50 high, a brilliant hacker with a photographic memory and intelligence that borders on genius. In this second volume of the past is revealed Lisbeth and explanations for their psychological problems. Stieg can unite two different characters that Mikael is the idealist, the dreamer, the hero. On the other hand we Lisbeth youth, the theme is that modern computer technology, the cynical and bad girl.
A curiosity is the life of the author Stieg Larsson died before the publication of his books in 2004 suffered a massive heart attack.
Stieg was 50 and had just delivered the manuscript of the Millennium trilogy for their publishers. After his death in 2004 and in 2008 became the second writer who has sold more books worldwide.
The death of Stieg claimed a great talent and a career that would be glorious. I read that actually would be a trilogy but six books in all, a pity.